Pai que abusava de filhas e engravidou uma delas foi preso pela PJC

Pai que abusava de filhas e engravidou uma delas foi preso pela PJC

Na sexta-feira (12.04), a Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão de um homem suspeito de abusar sexualmente de suas próprias filhas, sendo que uma delas engravidou como resultado dos abusos. A ação foi realizada pelos policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis, localizada a 212 km ao sul de Cuiabá.

O suspeito, de 45 anos, teve o mandado de prisão emitido pela Justiça pelo crime de estupro de vulnerável. As investigações que levaram à prisão do suspeito começaram em fevereiro deste ano, quando uma das filhas, atualmente com 22 anos, procurou a delegacia para relatar que foi abusada pelo pai aos 13 anos, resultando em uma gravidez.

A vítima chegou a contar para a mãe que foi abusada pelo pai, mas ela decidiu não se separar dele. Aos 15 anos, após o nascimento da criança, a vítima foi abusada sexualmente pelo pai várias vezes. A vítima também mencionou ter uma irmã de 11 anos e suspeitava que o pai também estivesse abusando dela.

Com base nas informações fornecidas, as investigações foram iniciadas, os fatos foram confirmados e um mandado de prisão preventiva foi solicitado e deferido pela Justiça. O mandado de prisão foi cumprido pelos policiais da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) em uma fazenda na região do Pantanal, cerca de 120 quilômetros de Rondonópolis.

Após o cumprimento do mandado de prisão, o suspeito foi levado para a Delegacia da Mulher de Rondonópolis, onde foram tomadas as providências necessárias, e posteriormente ele foi colocado à disposição da Justiça.

É de extrema importância que as vítimas recebam todo o apoio, proteção e assistência necessários, incluindo atendimento psicológico, acompanhamento médico e assistência jurídica. Essas medidas são essenciais para sua recuperação.

O suspeito deve ser responsabilizado legalmente por seus crimes. O sistema de justiça deve agir com rigor para punir esse tipo de conduta e prevenir a reincidência.

Também é importante investigar se há outras vítimas na família que possam precisar de proteção e apoio.

Além disso, é crucial trabalhar na prevenção desses crimes por meio de campanhas de conscientização, fortalecimento da rede de proteção à criança e adolescente, e aprimoramento das políticas públicas nessa área.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *