Zelensky demite líder de guarda-costas após tentativa frustrada de assassinato

Zelensky demite líder de guarda-costas após tentativa frustrada de assassinato

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, tomou a decisão de destituir o chefe da agência encarregada de sua proteção após a detenção de dois de seus oficiais por suposta conspiração para assassínio contra ele. A exoneração do diretor do Serviço de Guarda do Estado (UDO), Serhii Rud, foi comunicada por meio de um decreto publicado no portal oficial da presidência. No entanto, nenhuma explicação foi oferecida quanto aos motivos dessa demissão.

Segundo relatos da mídia estatal ucraniana Ukrinform, Rud foi designado como principal responsável pela segurança de Zelensky em outubro de 2019. Até o momento, um sucessor para o cargo ainda não foi nomeado. O UDO é encarregado de assegurar a proteção do presidente da Ucrânia, bem como de altos funcionários do Estado, além de zelar pela segurança de edifícios administrativos.

Recentemente, veio à tona que a Ucrânia detivera dois oficiais de segurança supostamente envolvidos em um plano russo para assassinar Zelensky. Dois coronéis do UDO foram acusados de realizar “atividades subversivas contra a Ucrânia em troca de compensação financeira”, conforme declarado pelo gabinete do Procurador-Geral da Ucrânia na última terça-feira. Ambos os coronéis enfrentam acusações de traição; um deles também foi acusado de planejar um ato terrorista.

O Serviço de Segurança do Estado de Kiev (SBU) relatou ter “frustrado” os planos para assassinar Zelensky e outros altos funcionários ucranianos, incluindo o chefe do SBU, Vasyl Maliuk, e o chefe da Inteligência de Defesa da Ucrânia, Kyrylo Budanov. De acordo com a promotoria, um dos suspeitos recebeu dois drones e munição do Serviço de Segurança do Estado da Rússia (FSB), com a intenção de transferi-los para outro cúmplice para realizar um ataque explosivo. Desde o início da invasão em larga escala da Ucrânia pela Rússia em fevereiro de 2022, Zelensky teria enfrentado diversas tentativas contra sua vida. Além das conspirações de assassinato, o presidente ucraniano enfrentou uma série de ameaças durante suas visitas às linhas de frente e às cidades ucranianas sob bombardeio russo.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *