Frigoríficos habilitados pela China devem gerar aumento de R$ 10 bilhões na balança comercial

Frigoríficos habilitados pela China devem gerar aumento de R$ 10 bilhões na balança comercial

O governo brasileiro estima que, em um período de um ano, a habilitação de 38 novos frigoríficos para a exportação de carne bovina ao mercado chinês irá gerar um aumento de aproximadamente R$ 10 bilhões na balança comercial do país. Essa projeção foi divulgada pelo secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura e Pecuária, Roberto Perosa, em entrevista nesta quinta-feira 11-04-2024.

“O impacto é muito positivo na balança comercial brasileira. Nós vamos ter o incremento médio de até R$ 10 bilhões com essas habilitações. Novas habilitações devem acontecer, estamos trabalhando duro para que isso aconteça. Vai trazer renda ao interior do país, ao produtor e ao campo”, afirmou Perosa. Na sexta-feira (12), o presidente Lula e o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, viajarão a Campo Grande (MS) para acompanhar o embarque inicial de carne bovina proveniente de plantas frigoríficas recém-autorizadas a exportar para a China.

Uma unidade da JBS foi selecionada para a visita presidencial, uma vez que o Mato Grosso do Sul foi o estado que apresentou o maior aumento na sua capacidade de exportação para o mercado chinês. Antes, apenas 11% do rebanho do estado podiam ser exportados para a China, mas com as novas habilitações esse percentual subiu para 57%. As autorizações aos frigoríficos brasileiros foram concedidas pela China em 12 de março e incluem 8 abatedouros de frango, 24 de bovinos, 1 estabelecimento de termoprocessamento bovino e 5 entrepostos.

Embora 32 plantas brasileiras avaliadas não tenham sido aceitas pelas autoridades chinesas, o governo brasileiro avalia estar em um bom momento nas relações com a China, o que pode abrir espaço para novas habilitações após as adequações necessárias. Além disso, há planos de atualizar os protocolos de exportação para a China, a fim de remover ou reduzir requisitos que impactam a capacidade produtiva.

Essa agenda deve ser discutida em junho, durante a visita do vice-presidente Geraldo Alckmin a Pequim, que participará da Cosban – Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação, importante espaço de diálogo entre Brasil e China. Em resumo, o governo brasileiro projeta um expressivo aumento nas exportações de carne para a China, com o potencial de gerar R$ 10 bilhões adicionais na balança comercial do país em um ano, por meio da habilitação de novos frigoríficos e da atualização dos protocolos de exportação.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *