Mulheres indígenas de MT dirigem filme sobre técnicas ancestrais de cultivo e preparo de alimentos

Mulheres indígenas de MT dirigem filme sobre técnicas ancestrais de cultivo e preparo de alimentos

Em julho de 2023, os membros da comunidade indígena Myky, do povoado Japuíra, reuniram-se na sala de cinema local para conferir a estreia de um filme especial. Ao se verem na tela, as anciãs Paatau e Kamunu ficaram profundamente emocionadas. Igualmente entusiasmadas estavam as realizadoras do primeiro curta-metragem produzido exclusivamente por mulheres Myky.

O filme “Mopái Pjuta Ãkakeje´u: A roça e os alimentos Myky” exalta os conhecimentos ancestrais do povo Myky sobre o cultivo e preparo de alimentos em seu território, localizado em Brasnorte (MT), cercado por grandes plantações do agronegócio.

As cineastas buscaram relatar ao mundo o papel essencial que as mulheres desempenham na preservação desses saberes, e de como toda a comunidade depende da liderança feminina nas roças comunitárias e hortas familiares. São as mulheres, em grande parte, as responsáveis pela subsistência e segurança alimentar do povo Myky, cultivando e extraindo da natureza os alimentos e ingredientes do Cerrado e da Amazônia.

Reconhecido pelas técnicas únicas de cultivo de sementes crioulas, alimentação saudável e abundante, o povo Myky, que habita uma região de transição entre esses biomas, tem em sua dieta todos os alimentos produzidos em suas roças, como milho, mandioca, batata, amendoim e diversas espécies de feijão. Eles também praticam o extrativismo de castanha, caju do mato, tucum, pequi, buriti e bacaba, entre outras frutas silvestres.

O filme, resultado de um projeto de formação em cinema e audiovisual para mulheres indígenas realizado pela cineasta Jade Rainho, está pronto para circular em festivais. Junto à cine-educadora Amanda Palma, Jade ensinou às alunas as etapas e técnicas de gravação, com foco em documentário, abrangendo conteúdo sobre desenvolvimento de argumento, elaboração de roteiro, fotografia, captação de imagem e som, e montagem.

Uma das realizadoras, Kamtinuwy Myky, afirma que o momento mais empolgante do processo foi a fase de filmagem. “Edição também. Mas eu gosto mesmo é de ir a campo e gravar entrevistas, captar imagens. Esse processo foi muito importante para a gente porque aprendemos mais coisas. Agora, estamos ansiosas para ver o filme circular”, completa animada. Junto a Kamtinuwy, compartilham o roteiro e direção as cineastas Kojayru Myky, Mãnynu Myky, Njãkyru Myky, Njãwayru Myky, Takarauku Myky e Tipuu Myky.

Partindo de um argumento escrito por Jade Rainho, as jovens realizadoras desenvolveram a pesquisa e o roteiro, escolhendo as mulheres da comunidade que seriam retratadas, bem como a forma e os assuntos a serem abordados. A partir daí, elas se lançaram no processo, da produção à edição.

A pós-produção e distribuição ficaram a cargo da Cadju Filmes e sua rede de parceiros, incluindo a artista visual Raiz Rozados, responsável pela ilustração do cartaz, feita com terra, em sintonia com o tema e em homenagem à cineasta Mãnynu Myky, uma das alunas que se encantou com o projeto.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *