Deputado cobra abertura de parque em Chapada para minimizar efeitos de interdição na MT-251

Deputado cobra abertura de parque em Chapada para minimizar efeitos de interdição na MT-251

O deputado Diego Guimarães, do partido Republicanos, solicitou informações à Secretaria de Meio Ambiente do estado de Mato Grosso (Sema-MT) sobre as obras e investimentos necessários para a ativação do Parque da Quineira, localizado em Chapada dos Guimarães. O parlamentar defende a abertura desse parque como uma forma de impulsionar o potencial turístico do município, atraindo mais visitantes e atendendo à população local.

No documento enviado à secretária Mauren Lazzaretti, Diego lembra que desde 2006 há uma lei (8.615/2006) autorizando que o parque seja administrado pelo governo estadual, mas até o momento não há indícios de que ações nesse sentido tenham sido tomadas. “O parque foi criado em 2002 como uma unidade municipal. Quatro anos depois, a Assembleia Legislativa aprovou uma lei que transferia sua administração para o estado. Entretanto, não há informações de que algo tenha sido feito desde então”, pontua o deputado.

Diego ressalta que a atuação do poder público para fomentar o turismo se torna ainda mais importante após os problemas causados pelo deslizamento de rochas na região do Portão do Inferno, na rodovia MT-251, principal via de acesso ao município. “Independentemente da situação jurídica, o Parque da Quineira representa um grande potencial de atração turística, demandando investimentos urgentes, especialmente em um momento em que Chapada dos Guimarães sofre os prejuízos da interrupção parcial da principal rodovia de acesso”.

Desde o ano passado, Guimarães tem buscado informações e realizado articulações políticas para garantir a abertura do parque. Em abril do ano passado, o deputado já havia enviado outro requerimento à Sema, cobrando informações sobre a inclusão ou não da área do parque na Área de Proteção Ambiental (APA) de Chapada dos Guimarães.

Isso porque, na avaliação do parlamentar, a Secretaria tem mantido um comportamento ambíguo, agindo algumas vezes como se o parque fosse estadual e, em outros momentos, afirmando que não é. “Precisamos saber exatamente a quem atribuir a responsabilidade pela gestão ou pela falta de gestão, e também se o parque está abrangido pela APA Chapada dos Guimarães”. O deputado fez os mesmos pedidos em setembro do ano passado, por meio de uma indicação.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *