Efeitos climáticos tiraram força do agro no 1º trimestre, diz IBGE

Efeitos climáticos tiraram força do agro no 1º trimestre, diz IBGE

O recuo de 3% do agronegócio no primeiro trimestre de 2024, em comparação ao mesmo período do ano anterior, reflete os impactos das condições climáticas no campo, especialmente sobre as culturas de soja e milho, de acordo com a análise de Amanda Tavares, analista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a especialista, o desempenho do setor agrícola não alcançou os resultados esperados pelos produtores. No primeiro trimestre de 2023, as culturas de soja e milho apresentaram bom desempenho, enquanto no último trimestre do ano passado, o trigo e a laranja registraram forte queda, impactando o resultado geral do agronegócio.

Os dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE, de acordo com Tavares, indicam que além da perda de produção, houve também redução da produtividade, ou seja, a área plantada gerou rendimento inferior ao esperado. Esse fator, segundo a analista, está relacionado às condições climáticas.

“O produtor, nesse caso, investiu mais e colheu menos”, ressalta a especialista.

Dentre as culturas, o milho foi a que apresentou a maior retração (-11,7%), seguido pelo fumo (-9,6%), soja (-2,4%) e mandioca (-2,2%). No setor, a pecuária representa aproximadamente 20%, a agricultura 70%, e o restante é composto pela produção florestal e pesca.

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) do país, houve um crescimento de 0,8% no primeiro trimestre de 2024, em comparação aos três últimos meses de 2023, impulsionado principalmente pelo setor de Serviços, que registrou alta de 1,4%. A Agropecuária cresceu 11,3%, enquanto a Indústria apresentou uma pequena variação negativa (-0,1%), considerada estável.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2023, o PIB apresentou aumento de 2,5%, também puxado pelos Serviços.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *