Juros do cartão de crédito caem 6,8% em fevereiro, diz Banco Central

Juros do cartão de crédito caem 6,8% em fevereiro, diz Banco Central

Pelo segundo mês consecutivo, houve uma diminuição na taxa média de juros do cartão de crédito rotativo para as famílias. Em fevereiro deste ano, a taxa ficou em 412,5% ao ano, em comparação aos 419,3% ao ano registrados em janeiro. Isso representa uma queda de 6,8 pontos percentuais no mês e 7,9 pontos percentuais em um período de 12 meses. Esses dados foram divulgados pelo Banco Central (BC) nas Estatísticas Monetárias e de Crédito publicadas nesta terça-feira (2).

O crédito rotativo é utilizado quando o consumidor paga um valor inferior ao total da fatura do cartão. Nesse caso, ele contrai um empréstimo e passa a pagar juros sobre o valor não quitado.

É importante ressaltar que essa modalidade possui as taxas mais elevadas do mercado. No entanto, desde janeiro deste ano, está em vigor uma lei que limita os juros do crédito rotativo a 100% do valor da dívida, em vez dos mais de 400% ao ano que eram cobrados anteriormente. No entanto, essa medida se aplica somente a novos financiamentos, o que explica por que as estatísticas ainda apresentam valores elevados.

Após o período de 30 dias, as instituições financeiras parcelam a dívida do cartão de crédito. No caso do cartão parcelado, os juros diminuíram 3,3 pontos percentuais no mês e 7,3 pontos percentuais em 12 meses, ficando em 184,5% ao ano.

Os juros praticados nas operações de cartão de crédito foram os principais responsáveis pela queda na taxa média de juros cobrada das famílias em fevereiro. Por outro lado, os juros do cheque especial aumentaram 6 pontos percentuais no mês, mas tiveram uma redução de 2,9 pontos percentuais em 12 meses (131,8% ao ano).

Considerando todas as modalidades de crédito voltadas para pessoas físicas, com recursos livres, a taxa média de juros atingiu 52,5% ao ano, apresentando uma redução de 0,1 ponto percentual no mês e de 6,0 pontos percentuais em 12 meses.

No caso das operações com empresas, a taxa média alcançou 21,4% ao ano, representando uma queda de 0,9 ponto percentual no mês e de 2,4 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior. Essa redução foi influenciada, principalmente, pela diminuição nas taxas médias das modalidades de desconto de duplicatas e outros recebíveis (1 ponto percentual), capital de giro com prazo superior a 365 dias (0,7 ponto percentual) e cartão de crédito rotativo (38,3 pontos percentuais).

No total do crédito com recursos livres, considerando tanto pessoas físicas quanto jurídicas, a taxa média de juros foi de 40,2% ao ano em fevereiro, apresentando uma diminuição de 0,3 ponto percentual no mês e de 3,8 pontos percentuais em 12 meses. O BC explicou que a redução no mês foi resultado principalmente da efetiva diminuição nas taxas de juros, com um leve efeito contrário na composição da carteira.

No crédito livre, os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros cobradas dos clientes. Já no crédito direcionado, as regras são estabelecidas pelo governo e são direcionadas principalmente para os setores habitacional, rural, de infraestrutura e microcrédito.

No caso do crédito direcionado para pessoas físicas, a taxa média foi de 9,4% ao ano em fevereiro, com uma redução de 0,3 ponto percentual no mês e de 0,8 ponto percentual em 12 meses. Para as empresas, a taxa diminuiu 0,3 ponto percentual no mês e 1 ponto percentual em 12 meses, ficando em 12,2% ao ano.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *