Robô Ilustris_IA do Judiciário de Mato Grosso automatiza baixa de processos

Robô Ilustris_IA do Judiciário de Mato Grosso automatiza baixa de processos

Com o intuito de aprimorar constantemente e aumentar a eficiência na prestação de serviços à sociedade, o sistema judiciário de Mato Grosso apresenta mais uma inovação: o Illustris_IA, um robô que automatiza o processo de encerramento de casos judiciais. Desenvolvida pela Coordenadoria Judiciária do Tribunal de Justiça em parceria com a Coordenadoria de Tecnologia da Informação, essa ferramenta foi lançada na quinta-feira (18 de abril), já está em pleno funcionamento e representa uma revolução no andamento dos processos.

“Isso terá um impacto positivo na rotina diária do judiciário. O robô encaminha os processos que possuem certidões de trânsito em julgado de volta para as unidades de origem, enquanto os processos que chegaram ao Tribunal de Justiça em grau de recurso são devolvidos para que o cumprimento seja realizado. Isso resulta em uma redução na taxa de congestionamento no Segundo Grau e em uma rápida resposta para as pessoas que aguardam nas unidades a execução da decisão”, destacou a juíza auxiliar da Presidência, Viviane Brito Rebello.

Segundo Rose Pincerato, coordenadora Judiciária do TJMT, essa nova ferramenta terá um impacto direto no tempo de tramitação dos processos e na entrega de um serviço de qualidade aos cidadãos. “O robô equivale a ter um funcionário em cada secretaria, no mínimo. Ao automatizar tarefas rotineiras e demoradas, como o encerramento dos processos, a carga de trabalho dos profissionais jurídicos nas secretarias será consideravelmente reduzida, permitindo que eles se dediquem a outras atividades mais complexas”, ressaltou.

Em 2023, foram encerrados 110 mil processos de forma manual e repetitiva, exigindo que os servidores acompanhassem todo o trâmite e monitorassem a tarefa no sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe). Cada encerramento levava, em média, 5 minutos, totalizando cerca de 10 mil horas de trabalho.

Thales Rubiale, diretor do Departamento da Coordenadoria Judiciária, explicou que com o robô trabalhando 24 horas por dia, sem interrupções, essa realidade será transformada. “Agora, tudo é feito automaticamente, o sistema identifica e encerra o processo. Se o robô tivesse trabalhado no encerramento desses 110 mil processos, considerando que eu tivesse quatro servidores dedicados exclusivamente a essa tarefa, eles levariam 12 meses para concluí-la. Agora, temos uma inteligência artificial para isso e podemos designar esses servidores para lidarem com tarefas que requerem a cognição humana para serem resolvidas, trazendo mais economia, rapidez e eficiência”, concluiu.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *