“ETA não vai resolver problema de falta de água em Várzea Grande”, afirma advogada

“ETA não vai resolver problema de falta de água em Várzea Grande”, afirma advogada

Conforme declarado pela pré-candidata Flávia Moretti (PL), em entrevista ao programa Jornal da Cultura, da Rádio Cultura FM, nesta segunda-feira 15-04-2024, ainda existem muitos bairros que dependem de poços artesianos para o abastecimento de suas residências devido a deficiências na rede de distribuição de água. Durante a conversa, a pré-candidata, que recentemente recebeu apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro para sua candidatura, também destacou os problemas enfrentados na área da saúde pública na cidade, onde frequentemente os pacientes são obrigados a se deslocar até Cuiabá em busca de tratamento.

“O principal problema é a distribuição. Se você capta água, mas não consegue entregá-la para aqueles que precisam devido a inadequações na rede de distribuição, isso claramente reflete a falta de planejamento. Muitos bairros em Várzea Grande ainda dependem de poços para obter e armazenar água, pois esses bairros não estão conectados à Estação de Tratamento de Água (ETA). Durante períodos de seca, esses poços secarão e a população ficará sem água novamente”, explicou Flávia.

De acordo com a pré-candidata, devido à falta de planejamento e investimento adequado, é comum receber relatos sobre vazamentos e danos nas tubulações de distribuição na cidade. “Recebo denúncias de vazamentos e canos estourados todos os dias em várias partes da cidade. A rede de distribuição é inadequada, e isso é resultado da falta de planejamento. Aqueles que administraram a cidade nos últimos anos tiveram a oportunidade de resolver esses problemas, mas não o fizeram. Venderam a ilusão de que a ETA resolveria tudo, mas sem uma rede de distribuição eficiente, a água não chegará aos lugares certos e será desperdiçada, como temos visto com os canos estourados”, criticou.

Flávia também abordou a precariedade do sistema de saúde pública no município, onde pessoas com doenças que necessitam de tratamento contínuo são obrigadas a se deslocar até Cuiabá em busca de atendimento adequado. “É uma falta de respeito uma cidade com mais de 300 mil habitantes não possuir um sistema de saúde capaz de atender sua população com dignidade. Em Várzea Grande, não há estrutura para tratar uma pessoa com câncer, por exemplo. Quem estiver com essa doença precisará buscar tratamento em Cuiabá, pois em Várzea Grande essa opção não existe.” explicou. Flávia enfatizou que os recursos estão disponíveis, mas falta planejamento e vontade política para resolver esses problemas.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *