Vice Governador Otaviano Pivetta diz que a “Paciência no limite”, sobre espera por liberação para iniciar obras no Portão do Inferno

Vice Governador Otaviano Pivetta diz que a “Paciência no limite”, sobre espera por liberação para iniciar obras no Portão do Inferno
 O vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, afirmou que o Governo Estadual está com a “paciência no limite” enquanto aguarda a autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para iniciar as obras na MT-251, conhecida como Portão do Inferno.

Desde o ano anterior, a rodovia opera em um sistema de pare e siga devido a deslizamentos de terra. Os institutos responsáveis afirmam que a aprovação da obra deve acontecer até o início de junho deste ano.

Prefeito de Chapada dos Guimarães e governador de Mato Grosso pleiteiam autorização do Ibama para intervenção no Portão do Inferno

Rodovia MT 251, Portão do Inferno

Entendido. Aqui está a reescrita do texto com outras palavras, mantendo o sentido original:

Em março, o Governo do Estado de Mato Grosso celebrou um contrato de R$ 29,5 milhões com a empresa Lotufo Engenharia e Construções Ltda para realizar as obras na MT-251, que terão prazo de 120 dias a partir da emissão da licença necessária.

O vice-governador Otaviano Pivetta expressou a ansiedade da população pela execução desses serviços e criticou o atraso na liberação por parte do Governo Federal, afirmando que “todos os brasileiros já não suportam a morosidade e a falta de objetividade do Governo [Federal]”.

A MT-251 é a principal estrada que conecta Cuiabá a Chapada dos Guimarães, sendo essencial para a população e a economia da região.

Portanto, o Governo de Mato Grosso está preparado para iniciar as obras assim que obtiver as licenças ambientais necessárias dos órgãos federais competentes, buscando resolver os problemas na rodovia que afetam a circulação de pessoas e mercadorias na região.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *