Preços de alimentos sobem pelo 2º mês seguido no mundo em abril, aponta agência da ONU

Preços de alimentos sobem pelo 2º mês seguido no mundo em abril, aponta agência da ONU

O índice global de preços de alimentos das Nações Unidas registrou o segundo aumento consecutivo em abril, impulsionado pelos valores mais altos da carne e pequenos aumentos nos óleos vegetais e cereais, apesar das quedas no açúcar e nos produtos lácteos. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o índice de preços atingiu uma média de 119,1 pontos em abril, em comparação com os 118,8 pontos revisados de março. No entanto, essa leitura está 7,4% abaixo do nível registrado no mesmo período do ano anterior.

Em fevereiro, o índice alcançou o nível mais baixo em três anos, à medida que os preços dos alimentos continuaram a cair em relação ao pico recorde registrado em março de 2022, quando ocorreu a invasão em grande escala da Ucrânia pela Rússia, que também é uma grande exportadora de produtos agrícolas.

No mês de abril, os preços da carne apresentaram o maior aumento, com um aumento de 1,6% em relação ao mês anterior. Os preços mais altos das carnes de aves, bovinas e ovinas compensaram uma pequena queda na carne suína, que foi afetada pela baixa demanda na Europa Ocidental e pelos principais importadores, especialmente a China, de acordo com a FAO. O índice de cereais da FAO registrou um pequeno aumento, interrompendo um declínio de três meses, impulsionado pelos valores mais elevados de exportação do milho. Os preços dos óleos vegetais também subiram, ampliando os ganhos anteriores e atingindo o maior valor em 13 meses, impulsionados pela força dos óleos de girassol e colza.

Por outro lado, o índice de açúcar teve uma queda acentuada, perdendo 4,4% em relação a março e ficando 14,7% abaixo do nível do ano anterior, devido a uma melhoria nas perspectivas da oferta global. No que diz respeito aos laticínios, os preços caíram, encerrando uma sequência de seis meses consecutivos de ganhos.

Em relação aos dados de oferta e demanda de cereais, a FAO aumentou sua estimativa de produção mundial de cereais para o período 2023/2024, chegando a 2,846 bilhões de toneladas métricas, em comparação com os 2,841 bilhões projetados no mês passado. Esse aumento de 1,2% em relação ao ano anterior se deve principalmente aos números atualizados de Mianmar e Paquistão.

No entanto, a previsão para a produção global de trigo em 2024 foi reduzida para 791 milhões de toneladas, em comparação com as 796 milhões estimadas no mês anterior. Isso reflete uma queda maior no plantio de trigo na União Europeia do que o esperado anteriormente. Apesar disso, a perspectiva revisada para a produção de trigo em 2024 ainda está cerca de 0,5% acima do nível do ano anterior.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *