Não ter Peixe Santo significa a falência da gestão Emanuel Pinheiro na prefeitura

Não ter Peixe Santo significa a falência da gestão Emanuel Pinheiro na prefeitura

O recente cancelamento do evento Peixe Santo, organizado pela Prefeitura de Cuiabá, pelo segundo ano consecutivo, tem sido alvo de críticas por parte de vereadores e población local. O projeto, que há 30 anos busca commercializar 80 toneladas de peixes a preços acessíveis, foi suspenso devido à desistência da empresa contratada para fornecer os peixes.

O vereador Dilemário Alencar (Podemos) e a vereadora por Cuiabá, Maysa Leão (Republicanos), consideram que o cancelamento representa a falência da gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). Alencar argumenta que os pequenos produtores e a população carente são os mais prejudicados com a decisão, uma vez que o Peixe Santo fomenta a agricultura familiar na área da piscicultura, permitindo que os pequenos produtores e criadores de peixe vendam seus produtos diretamente para os consumidores.

Além disso, o vereador destaca que o cancelamento afeta a tradição de comer peixe durante a Semana Santa, que é comumente seguida pelos cuiabanos. Ele considera que isso representa uma decadência na área cultural e religiosa, já que a maioria da população brasileira é cristã e aprecia o consumo de peixe nesse período. O cancelamento do programa pode prejudicar muitas famílias, especialmente as mais carentes.

Maysa Leão, por sua vez, apresentou um requerimento ao Executivo para que justifique o fim do contrato com a empresa que fornecia peixes para o programa Peixe Santo. O programa garantia variedade de peixes com preços baixos para os consumidores durante a Semana Santa, e seu projeto iria acontecer nos dias 27, 28 e 29 de março.

“Tivemos informações de que a empresa não sentiu segurança no município de Cuiabá. A empresa está refletindo o que o Tesouro Nacional tem dito: Cuiabá não é uma boa pagadora. Isso prejudica muito a população que depende do Peixe Santo para ter ali a sua fé, uma refeição de acordo com o que a Sexta-feira da Paixão imprime para aquelas pessoas”, disse Maysa.

Ele completou o discurso alegando que a atual gestão “não consegue nem fazer algo que é feito há tantos anos. {…} Resultado de uma gestão falida”. O cancelamento do programa foi feito pela Secretaria municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico (Smated), nesta terça-feira (27).

VEJA TAMBÉM O VÍDEO ABAIXO

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *