Homem que matou ex-companheira na frente dos filhos é indiciado também por ocultação de cadáver e estupro

Homem que matou ex-companheira na frente dos filhos é indiciado também por ocultação de cadáver e estupro

A Delegacia da Polícia Civil de Diamantino formalizou o indiciamento do responsável pelo feminicídio de Lorrane Cristina Silva de Lima, ocorrido na primeira metade deste mês, por três delitos: feminicídio agravado, devido ao fato de ter ocorrido na presença dos filhos da vítima; ocultação de cadáver e estupro. O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário nesta terça-feira (26 de março).

Lorrane foi assassinada por seu ex-parceiro, e seu corpo foi descoberto no dia 13 de março. A polícia encontrou a vítima após ir até a casa dela para investigar o motivo pelo qual seus filhos tinham faltado às aulas por dois dias consecutivos. A diretora da escola achou a situação estranha e foi até a residência, quando uma das crianças de Lorrane falou com a professora de dentro da casa, dizendo que a mãe estava dormindo e o padrasto tinha saído para comprar remédio, deixando as crianças trancadas em casa sem a chave do portão.

As crianças disseram aos policiais que estavam bem, mas ficou evidente que algo estava errado. Os policiais pularam o muro e entraram na casa, quando sentiram um forte cheiro vindo de um dos quartos. A vítima estava caída no chão, sem vida, com uma faca ao lado do corpo. As duas crianças estavam em outro quarto, em pânico, e foram retiradas do local e entregues aos cuidados do Conselho Tutelar.

Prisão

O responsável pelo feminicídio, José Edson Douglas Galdino Santos, de 25 anos, foi preso no dia 19 de março, na cidade de Rurópolis, no sul do Pará. Ele foi localizado no balcão de uma empresa de ônibus, na rodoviária da cidade paraense, por uma equipe da Polícia Militar, que cumpriu o mandado de prisão e o conduziu à delegacia local.

Durante a abordagem, José Edson admitiu ter cometido o crime para usar a impressão digital da vítima e desbloquear o celular dela.

O criminoso já tinha um registro anterior, datado de abril de 2022, pelo delito de perseguição, denunciado por outra ex-companheira dele, na cidade de Lucas do Rio Verde. A vítima solicitou medidas de proteção e relatou ter vivido um relacionamento conturbado durante dois anos, em que ele não aceitava o fim do relacionamento e a perseguia constantemente.

O delegado de Diamantino, Marcos Martins Bruzzi, explicou que o criminoso foi indiciado pelo homicídio agravado por ter cometido o crime na presença dos filhos da vítima, além de ter sido comprovado por perícia que ele cometeu violência sexual contra a vítima. “Ele também foi indiciado pelo crime de ocultação de cadáver, pois trancou a residência e isolou o corpo da vítima”, acrescentou.

VEJA TAMBÉM O VÍDEO ABAIXO

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *