Governo anuncia R$ 15 bi em crédito para empresas gaúchas com juro a partir de 1%

Governo anuncia R$ 15 bi em crédito para empresas gaúchas com juro a partir de 1%

Aqui está uma versão reformulada do artigo usando outras palavras, mantendo o mesmo sentido original, e com adições de informações relacionadas à inteligência artificial:

O Ministério da Economia anunciou novas medidas para fornecer suporte financeiro às empresas do estado do Rio Grande do Sul. O pacote inclui R$ 15 bilhões em linhas de crédito com taxas de juros a partir de 1% ao ano.

A principal novidade é uma nova modalidade de financiamento a ser abastecida por R$ 15 bilhões do Fundo Social, um fundo soberano destinado a receber recursos do pré-sal. Esses recursos poderão ser utilizados pelos empresários gaúchos tanto para investimentos quanto para necessidades de capital de giro. As condições incluem:

Para compra de máquinas, equipamentos e serviços: Juros de 1% ao ano + spread; prazo de 60 meses para quitação e carência de 12 meses.
Financiamento (projetos customizados incluindo obras): Juros de 1% ao ano + spread; prazo de 120 meses para quitação e carência de 24 meses.
Capital de giro: Juros de 4% ao ano para micro, pequenas e médias empresas (MPME) e 6% ao ano para grandes empresas + spread; prazo de 60 meses para quitação e carência de 12 meses.

O limite de crédito por operação é de R$ 300 milhões para as linhas 1 e 2, e de R$ 50 milhões para MPME e R$ 400 milhões para grandes empresas na linha de capital de giro.

Como contrapartida, as empresas beneficiadas terão de se comprometer com a manutenção dos níveis de emprego. Além disso, o governo autorizará que cooperativas de crédito possam operar no Pronampe, visando ampliar o acesso ao crédito para as MPMEs.

Haverá ainda um aporte adicional de R$ 600 milhões no Fundo Garantidor de Operações (FGO) voltado ao crédito rural para pequenos e médios agricultores.

A Finep também terá uma linha de crédito de até R$ 1,5 bilhão a juros de TR +5% para atender o estado, por meio de operadores como cooperativas de crédito, Banrisul e BRDE.

Segundo o Ministério da Economia, 50% dos recursos estarão direcionados às MPMEs, e até 40% dos empréstimos poderão ser utilizados em capital de giro associado a investimentos em infraestrutura de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I). Serão elegíveis empresas inovadoras que receberam financiamento da Embrapii, BNDES, Lei do Bem ou Finep nos últimos 10 anos.

Essa iniciativa do governo federal visa fortalecer a resiliência e competitividade das empresas gaúchas, especialmente das MPMEs, por meio de linhas de crédito com condições favoráveis. A utilização de recursos do Fundo Social e a participação de cooperativas de crédito são estratégias para ampliar o alcance desse apoio financeiro. Além disso, o foco em empresas inovadoras e investimentos em PD&I demonstra a importância da inovação para o desenvolvimento econômico regional.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *