62% dos presidentes das subseções e alguns conselheiros declaram apoio à Xênia Guerra para OAB-MT

62% dos presidentes das subseções e alguns conselheiros declaram apoio à Xênia Guerra para OAB-MT

Dezoito presidentes de seções locais da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT) assinaram, durante a última reunião dos presidentes da OAB e delegados da Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso (CAA-MT) em Primavera do Leste, uma carta de apoio à candidatura de Xênia Guerra à presidência da entidade, que representa 62% dos advogados no estado. Atualmente, Xênia comanda a 6ª subseção de Sinop.

Alguns conselheiros, como o ex-presidente Francisco Faiad, Leonardo Campos e Itallo Leite, também já sinalizaram apoio à candidatura da Dra. Xênia. A presidente da subseção de Cáceres, Cibeli Simões, destacou que os problemas relacionados à prestação jurisdicional afetam ainda mais o interior do estado.

Cibeli afirmou que a maioria dos presidentes de subseções e conselheiros apoiaram este projeto de ter uma representação de classe que se identifique com a realidade da advocacia estadual. Ela enfatizou a importância de haver união entre os colegas da capital e do interior na construção de um projeto democrático, com igualdade, justiça e proporcionalidade.

A vontade de ter um representante do interior como cabeça de chapa já vem de alguns anos, e agora é o momento de união para garantir este projeto político.

O nome de Xênia Guerra tem agregado apoio tanto de advogados do interior quanto da capital, devido à sua experiência no sistema da OAB e capacidade de aglutinação.

A LIDERANÇA DE XÊNIA GUERRA

Historicamente, fomos ensinados a acreditar em limitações sobre o papel da mulher na sociedade, como sua responsabilidade primária com a casa e a família. Agora, estamos aprendendo que somos melhores quando trabalhamos juntos, e que a diversidade de perspectivas é fundamental para a tomada de decisões acertadas.

Nos anos anteriores, tivemos que lutar arduamente para normalizar o uso adequado dos artigos de gênero, evoluir do simples empoderamento e demonstrar força política para alcançar a paridade. Neste ano atípico, podemos reconhecer esses abismos e nos inspirar nas líderes mundiais. Mais do que nunca, devemos demonstrar que as habilidades comportamentais comuns à maior parte das mulheres não são um sinal de fraqueza, mas um conjunto de qualidades valiosas para os espaços de liderança.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *