Em crise financeira, Paramount tenta se livrar do contrato da Libertadores e Sul-Americana

Em crise financeira, Paramount tenta se livrar do contrato da Libertadores e Sul-Americana

A empresa Paramount, que enfrenta dificuldades financeiras e busca um comprador para suas operações, está tentando rescindir o contrato de direitos de transmissão da Libertadores e da Copa Sul-Americana para a América Latina, incluindo o Brasil.

Esses torneios têm sido o carro-chefe do serviço de streaming Paramount+ no Brasil desde o ano passado. O acordo com a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) para a exibição das partidas é válido até o final da temporada de 2026.

A Paramount tem o direito de escolha secundária para a exibição de ambos os torneios e tem transmitido partidas exclusivas de times da Série A do Campeonato Brasileiro, como Atlético Mineiro, Grêmio e Botafogo.

A justificativa da Paramount é que a empresa está passando por um momento difícil. Os pagamentos à Conmebol estão em dia, mas o retorno financeiro dos torneios tem sido bom apenas no Brasil e na Argentina.

Em outros países do continente, onde a empresa americana também detém os direitos para transmissão em canais abertos, o retorno tem sido muito abaixo do esperado. A receita gerada nesses dois principais países não é suficiente para compensar as perdas na região devido ao evento esportivo.

No momento, existem duas opções em discussão. A primeira é devolver os direitos nos países com déficit financeiro e manter apenas os direitos de transmissão das competições no Brasil e na Argentina.

A segunda opção, que está sendo mais explorada pelos executivos da Paramount, é repassar os direitos para terceiros ou até mesmo devolvê-los à Conmebol, que poderia entregá-los a outro grupo de mídia.

Para formar a equipe de transmissão no Brasil, a Paramount contratou profissionais conhecidos no mercado, como João Guilherme, Nivaldo Prieto, Paulo Vinícius Coelho (PVC), Alê Xavier, entre outros.

Esses profissionais têm contrato válido com a Paramount até 2026, e caso a empresa desista do projeto, eles receberiam uma compensação pela quebra do contrato.

Não é a primeira vez que a Conmebol enfrenta uma situação semelhante. Em 2020, durante a pandemia, a Globo rescindiu unilateralmente o contrato pelos direitos de transmissão da Libertadores. A emissora fez um acordo em 2021 e pagou uma multa à entidade.

Neste ciclo atual de 2023 a 2026, uma renegociação também não é algo inédito para a Conmebol. O aplicativo OneFootball renegociou seu contrato com a entidade para os destaques das competições e devolveu os direitos na América do Sul, com exceção do Brasil, a fim de reduzir custos.

A CRISE DA PARAMOUNT EM NÚMEROS

A Paramount enfrentou um prejuízo considerável de S$ 1,6 bilhão (R$ 8,2 bilhões) no ano de 2023, conforme relatado nos balanços divulgados aos acionistas. Como resultado dessa situação, houve cancelamento de produções, incluindo o reality show Rio Shore.

As ações da empresa, negociadas na bolsa de valores dos Estados Unidos, sofreram uma queda de 52% nos últimos 12 meses e uma queda de 73% nos últimos três anos. O balanço do ano passado revelou que a Paramount tem cerca de US$ 14 bilhões (R$ 72 bilhões) em dívidas e empréstimos pendentes.

Diante desses problemas financeiros, a Paramount está buscando um comprador para superar essa crise. O fundo de capital privado Apollo Global, de acordo com o The Wall Street Journal, ofereceu US$ 11 bilhões para adquirir apenas as divisões de cinema e TV da Paramount, mas a proposta foi rejeitada.

Posteriormente, o fundo fez uma segunda proposta de US$ 26 bilhões para adquirir o grupo como um todo, mas também foi recusada. Agora, segundo o The New York Times, a Apollo está buscando o apoio da Sony, que já possui a Columbia Pictures, para adquirir a Paramount por completo. A entrada da Sony agrada aos acionistas da Paramount.

O executivo JC Acosta, que era presidente da Paramount na América do Sul, foi um dos principais defensores da aquisição dos direitos de transmissão da Libertadores e da Copa Sul-Americana pela empresa em maio de 2022. No entanto, Acosta foi demitido logo após a assinatura do acordo, em outubro do mesmo ano.

Além de ser proprietária de um dos estúdios de cinema mais renomados do mundo, responsável por franquias como “Top Gun” e “Missão: Impossível”, a Paramount também detém marcas de televisão como MTV e Nickelodeon, além da Pluto TV, uma plataforma de streaming gratuita bastante popular.

A Conmebol afirmou, em resposta à Folha de S.Paulo, que não possui informações no momento sobre possíveis mudanças nas transmissões de suas competições. A Paramount, por sua vez, preferiu não comentar especulações quando questionada sobre o assunto.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *