Combate a incêndios florestais em Mato Grosso ganha força em segundo mês de crescimento

Combate a incêndios florestais em Mato Grosso ganha força em segundo mês de crescimento

Mato Grosso desponta como o triste líder no registro de queimadas no Brasil, de acordo com informações do Inpe. Os números alarmantes de incêndios detectados em março e abril apontam para uma situação crítica. A persistente seca, as altas temperaturas e a prática inadequada do uso do fogo são apontados como os principais elementos que contribuem para esse cenário preocupante.

As regiões de transição entre diferentes biomas, onde ocorre a expansão da atividade agrícola impulsionada pelo desmatamento ilegal e pela queima indiscriminada para limpeza de terrenos, são as mais afetadas. Segundo o engenheiro florestal Vinicius Silgueiro, do Instituto Centro de Vida (ICV), mais de 90% das queimadas ocorrem em propriedades rurais sem autorização para o uso do fogo. Isso evidencia a necessidade de medidas mais rigorosas e de uma fiscalização adequada.

A persistente seca desde 2019, com chuvas abaixo da média, e as altas temperaturas intensificadas pelo fenômeno El Niño criam um ambiente propício para a propagação dos incêndios. Felizmente, ações de combate e prevenção estão sendo implementadas. A proibição das queimadas em áreas rurais, que será implementada em julho, terá um papel crucial no controle do avanço das chamas. Além disso, a monitoração constante por parte das autoridades ambientais e do Corpo de Bombeiros é essencial para identificar e combater os focos de incêndio o mais rápido possível.

Já foram aplicadas multas pelo Corpo de Bombeiros no valor de até R$ 1,5 milhão em 2024, devido ao uso irregular do fogo. O órgão também intensificará as ações de fiscalização e prevenção contra o uso irregular do fogo.

No entanto, é fundamental que haja uma abordagem conjunta entre o governo, organizações não governamentais e a população local para enfrentar efetivamente esse problema. A conscientização ambiental e a adoção de práticas agrícolas sustentáveis são medidas cruciais para deter a devastação dos biomas brasileiros.

Os dados revelados sobre os municípios com maior incidência de incêndios em abril destacam a necessidade de atenção e ação imediata nessas regiões. A preservação da Amazônia, do Cerrado e do Pantanal, que são os biomas mais afetados, é de extrema importância para a conservação da biodiversidade e do equilíbrio ambiental.

10 municípios de MT com mais focos de incêndio em abril:

Brasnorte (55 focos)

Cáceres (54 focos)

São Félix do Araguaia (46 focos)

Querência (44 focos)

Gaúcha do Norte (41 focos) iomas mais atingidos:

Amazônia (452 focos)

Cerrado (268 focos)

Pantanal (68 focos)

Chamar a atenção para a urgência da situação e cobrar das autoridades medidas mais rigorosas é um passo importante para sensibilizar e mobilizar a sociedade em prol da proteção dos biomas brasileiros. A preservação do meio ambiente é responsabilidade de todos nós e requer esforços conjuntos para garantir um futuro sustentável.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *