Mais de 200 mil adultos em Mato Grosso não sabem ler e escrever, revela IBGE

Mais de 200 mil adultos em Mato Grosso não sabem ler e escrever, revela IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados do Censo Demográfico 2022 que indicam que 5,81% da população de Mato Grosso com 15 anos ou mais, o equivalente a mais de 212 mil pessoas, não sabe ler e escrever uma carta simples.

Apesar do número significativo, o estado apresenta uma taxa de alfabetização de 94,19%, superior à média nacional de 93%. Isso significa que, no geral, o nível de alfabetização em Mato Grosso está acima da média do país.

Desigualdades regionais:

O estudo também revela disparidades no nível de alfabetização entre as cidades do estado. As três cidades com os melhores índices são:

  • Lucas do Rio Verde: 97,16%
  • Primavera do Leste: 96,81%
  • Cuiabá: 96,73%

Relacionamos: Mato Grosso lidera ranking com menor taxa de desemprego do país!

[Continua depois da Publicidade]

Já as cidades com os piores índices são:

  • Nova Nazaré: 82,43%
  • Nova Brasilândia: 79,79%
  • Porto Estrela: 77,76%

Mato Grosso no cenário nacional:

Em relação ao cenário nacional, Mato Grosso ocupa a décima posição entre os estados com maior taxa de alfabetização. Os estados com os melhores índices são Santa Catarina (97,33%), Distrito Federal (97,23%) e Rio Grande do Sul (96,89%).

Desafios e ações:

Os dados do IBGE evidenciam a necessidade de ações contínuas para reduzir o índice de analfabetismo em Mato Grosso, com foco nas regiões e grupos populacionais mais vulneráveis.

Investir em educação de qualidade, especialmente na alfabetização de adultos, é crucial para o desenvolvimento social e econômico do estado.

Confira os 10 municípios de Mato Grosso com as melhores taxas de alfabetização:

Cidade Taxa de alfabetização
Lucas do Rio Verde 97,16%
Primavera do Leste 96,81%
Cuiabá 96,73%
Sinop 96,57%
Nova Mutum 96,12%
Sorriso 96%
Ipiranga do Norte 95,83%
Campo Novo do Parecis 95,70%
Barra do Garças 95,69%
Sapezal 95,60%

A erradicação do analfabetismo é um compromisso de todos. Somente com a união de esforços dos governos, da sociedade civil e das próprias pessoas que desejam aprender a ler e escrever poderemos construir um futuro mais justo e próspero para todos.

 

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *