Fazendeiro em Mato Grosso é preso por suspeita de homicídio em caso de homem ‘morto por onça’

Fazendeiro em Mato Grosso é preso por suspeita de homicídio em caso de homem ‘morto por onça’

No sábado (27), a Polícia Civil deteve o dono de uma propriedade rural em Tapurah, Mato Grosso, onde um homem foi encontrado morto na quarta-feira passada (24). A vítima, identificada como Dinalto Machado Lopes, de 52 anos, foi assassinada de acordo com a perícia realizada pela Politec.

Inicialmente, considerou-se a possibilidade de um ataque de onça-pintada, mas essa hipótese foi descartada, uma vez que não foram encontrados indícios de ataque animal no local. Em vez disso, foram encontrados sinais de homicídio.

O caso está sendo investigado como homicídio e, além da prisão do suspeito, foram cumpridos três mandados de busca na propriedade. O delegado responsável pelo caso, Artur Almeida, mencionou que a Politec descartou a possibilidade de Dinalto ter sido vítima de um ataque de onça-pintada. Segundo o perito Nilton Dalberto, não foram encontrados indícios de ataque animal no local onde o corpo foi encontrado, mas sim sinais de homicídio. O exame necroscópico revelou que a vítima foi alvejada por três tiros no peito e que sua mão foi amputada com uma arma branca, sugerindo uma ação intencional.

Dinalto foi descoberto em uma área rural de Tapurah, depois que os funcionários da fazenda perceberam sua ausência e seguiram rastros que o levaram até a mata. O corpo da vítima foi arrastado por cerca de 300 metros até a margem do Rio Borges. Embora moradores da região tenham relatado ter avistado filhotes de onça no local, as evidências indicam um cenário de homicídio.

O suspeito, que é o proprietário da fazenda, está sob custódia judicial enquanto as investigações continuam em andamento. A Polícia Civil provavelmente está trabalhando para coletar mais evidências, interrogar testemunhas e determinar a motivação por trás desse crime.

-

Redação: radiocuiabanafm.com.br

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *